Follow by Email

terça-feira, 26 de maio de 2009

Grêmios Estudantis irão Marca Presença nas Sessões da Câmara de Vereadores

No dia 26 de maio, às 15h, cerca de 40 estudantes, das escolas Tupy, Presidente Médici, Tufi Dippe e Paulo Medeiros estavam presentes na câmara de vereadores para assistir a reunião da comissão de legislação e justiça. Os estudantes foram até a câmara para acompanhar o andamento da proposta de sustação do aumento da passagem de ônibus, de autoria do vereador Adilson Mariano. Os estudantes assistiram atenciosamente a discussão sobre o funcionamento do processo legislativo a respeto da medida de sustação do reajuste. “O processo será longo, mas iremos marca presença aqui na câmara, para barrar o aumento!” – falou Johannes Halter, 17, anos presidente do grêmio estudantil da Escola presidente Médici. Questionado sobre os próximos passos, Halter destaca: “Os estudantes precisam organizar seus grêmios, fortalecer suas entidades que são seus sindicatos para assim derrubarmos não só aumento como também a concessão ilegal do transporte coletivo.” Estudantes de várias instituições irão fazer um ato nessa quarta-feira, na praça da bandeira, às 17h45, e na sexta-feira às 18h no Fórum de Joinville. O ato é convocado pela Frente de Luta pelo Transporte Público.

Dia histórico Para o Povo Joinvilense

Na terça-feira (19 de maio), o vereador Adilson Mariano apresentou uma proposta de sustação do aumento da passagem de ônibus. A proposta foi apresentada baseando-se no artigo 231 do regimento interno da Câmara de vereadores. Que autoriza um vereador ou comissão permanente a apresentar uma proposta de sustação de atos do poder executivo, que exorbitem o seu poder regular. A comissão se reuniu, nessa terça-feira, dia 26, às 15h. Onde foi decido que Vereadora Tânia Maria Eberhardt será a relatora do projeto, ou seja, à responsável de apresentar o projeto em plenário. Na sessão de hoje, o pedido será encaminhado ao plenário para que o prefeito seja notificado, e com o prazo 10 dias responda sobre aumento da tarifa do transporte coletivo. Para o Militante da Juventude Revolução, Tiago de Carvalho e membro da Frente de Luta pelo Transporte Público: “agora é mobilizar, iremos pressionar a câmara para que vete o ato do prefeito.” Para Iago Paqui, membro da UJES (União Joinvilense de Estudantes Secundarista): “essa data é histórica, pois nunca havíamos conseguido passar uma sustação do aumento, isso demonstra a capacidade de organização do povo e dos estudantes Joinvilense”

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Protógenes Queiroz. Certamente "ele é que é um revolucionário!"

Em meio a todo esse movimento em Joinville contra o "reajuste" do valor das passagens de ônibus, ouvi falar de um tal de "Protógenes"! Eu, bem informado e muito interessado no combate à corrupção e na moralização da sociedade burguesa que sou, nem sabia do que se tratava um Protógenes. A primeira pergunta que me veio à cabeça - primeira e clássica - é se um Protógenes era algo de comer. Antes mesmo de começar a pensar na possibilidade de que um Protógenes fosse um ser unicelular da era Mezozóica, fui logo advertido que se tratava de uma pessoa. Na verdade, pessoa, pessoa não. Era um delegado! Fui procurar algo sobre o indivíduo, posto que se trata de um ícone de alguns revolucionários da cidade. Queria talvez largar os ensinamentos do véio Lenin ou mesmo as citações proverbiais e descontextualizadas de Marx! Google na barra de endereços, saí em busca da água da sabedoria desta figura quase mitológica para que banhasse a craca da minha ignorância. Dei-me por vencido por essas sábias palavras divinamente escritas por este que, certamente, é o substituto de todos os ícones do movimento operário no mundo. Difícil será explicar que deixei de ser trotskysta para ser protogenista! Bom, de qualquer forma, este sim é um revolucionário! "PAUSA PARA MEDITAÇÃO Ao povo brasileiro e aos internautas, hoje é dia 20 de maio data sublime da minha existência concedida por Deus criador do céu, da terra e das forças da natureza. Agradeço por completar meio século de vida com saúde e paz no seio da minha família e na companhia dos meus semelhantes, seguindo os ensinamentos sagrados do Nosso Senhor Jesus Cristo, dos Vedas, Gandhi, Paramahansa Yogananda, São Francisco de Assis e o inesquecível Prof. Agenor Miranda Rocha. Como ser em construção, terráqueo e pecador, apesar de completar nesta data cinquenta anos com força, vida e saúde, tenho o privilégio em participar da edificação de um mundo que respeite os princípios e regras que têm como objeto principal a diminuição das desigualdades sociais. Só tenho a agradecer e nada pedir, apenas elevo meus pensamentos e sentimentos em ajudar ao meu semelhante, aos animais e as forças da natureza na esperança de um planeta terra destinado a acolher e proporcionar bens e riquezas, para uma sociedade infinitamente livre, justa e solidária. Assim, sigo como um ser incansável na luta e dedicação no ideal de um Brasil que assista a todos sem distinção de qualquer natureza, pois a história de vida que escolhi está descrita na conduta e caminhos do bem que percorri, sem me afastar dos ensinamentos primários da educação genorosa do meu pai e na docilidade franciscana de minha mãe. O maior presente que recebo nesta data são os 2.700 internautas da rede de relacionamento www.protogenescontraacorrupcao.ning.com e as 5.700 mensagens do www.blogdoprotogenes.com.br que acreditam e depositam toda confiança no trabalho executado ao longo da minha carreira de Delegado de Polícia Federal, desejo a todos sáude, paz e minha profunda gratidão pela colaboração diária e os gestos de solidariedade destinados a mim e a minha família. Ao abrir um dos meus livros de cabeceira, recebi um presente divino e compartilho com vocês o seguinte texto poético: VENCI ! Este fardo pejado de lembranças, - motivo doce de tanta saudade; com tanta mágoa de não ter vivido, este anseio incontido da ventura que nunca veio e foi tão esperada; esse amor que jamais foi entendido e em troca me deu tanto desespero esse mesmo desejo de ser grande para chegar com êxito a conquista este aprêço as vaidades, a mentira, quando a verdade era um ferrete em fogo - tudo isso consegui vencer um dia, e sabe Deus com que firmeza digo: venci-o! e agora sei quanto é ditoso quem reconhece que a felicidade está no bem que espalha no caminho e no bem que espalha no caminho e no riso que põe no lábio alheio. (Prof. Agenor Miranda Rocha - Livro de poesias Oferenda )" Fonte: http://blogdoprotogenes.com.br/ Texto escrito Por Tiago de Carvalho, militante da JUventude Revolução e estudante de Direito na UNIVILLE

sábado, 23 de maio de 2009

Resposta de Carlos Castro membro comitê Central Da Esquerda Marxista à Hernandez

Caro Hernandez, O Marxismo e o Leninismo deixaram também textos teóricos sobre tática e estratégia. Talvez a leitura do texto "Esquerdismo, doença infantil do comunismo" lhe dê algumas pistas sobre em qual organização o militante deve exercer sua militância. O dialogo estabelecido com Rosa Luxemburgo, neste texto, é significativo, sobre ficar ou não no partido operário degenerado ou sobre atuar ou não no parlamento; Outra coisa, o Marxismo também nos ensina a ter senso de proporção. Ocupar uma prefeitura com mil jovens num primeiro dia de manifestação não é um ato revolucionário, mas uma ação irresponsável, até porque temos uma experiencia histórica que nos colocou na contramão, esvaziando por completo as manifestações que vinham num crescente até ali. O fato ocorrido em Joinville, em 2003 já deveria ter lhe ensinado a agir com mais inteligencia, prudencia e tática. Naquele ano, alguns radicais agiram de forma unilateral, ou seja, sem qualquer discussão no coletivo, quebraram alguns onibus e deram os motivos para a Policia virar a praça da cidade num campo de guerra contra os estudantes que lembrou a ditadura militar. Voce esqueceu deste fato. Vou lembrá-lo de outro ocorrido a um ano. Voce sustentou a posição de alguns anarquistas de chamar num panfleto os vereadores de Ladrão, mesmo após eu ter me pronunciado contra e dito o que iria acontecer. Não deu outra, esta ação impediu a continuidade do movimento pela revogação do aumento escandaloso de salário dos vereadores (de R$ 6,400,00 foi para R$ 8,700,00) e o movimento saiu mais uma vez derrotado pela ação intempestiva de alguns. Pela experiencia que voce já adquiriu no movimento estudantil, deveria ser mais sensato e mais tático no movimento para reverter um quadro adverso (aumento escandaloso da tarifa do transporte coletivo em Joinville - 12,2%). Ao invés de ficar marcando posição com uma tática que seria infeliz, seria mais honroso reconhecer que errou e rever a posição para buscar unidade e ter flexibilidade para ganhar força num movimento que ainda capenga. Com ou sem voces, nós vamos até o fim. O tempo será mais uma vez o dono da razão. Prefiro ter voce junto conosco no combate. Mas não esqueça, nossa experiencia mostra que quando decidiram por ações intempestivas sem discutir anteriormente no coletivo para fazer uma avaliação dos prós e contras, nós fomos derrotados. Sobre ser ou não ser revolucionário, isto é a prática que mostra. Os ditos revolucionário que propõe medidas sangrentas, geralmente colocam o movimento numa fria. Espero que não seja esta sua intenção. Fraternalmente, Carlos Castro.

quarta-feira, 20 de maio de 2009

O Sindicato dos Estudantes

Grêmio estudantil organiza-se como sindicato de estudante

“Quem organiza essa manifestação é o sindicato dos estudantes: o grêmio estudantil do Médici.”, Foi às palavras de Johannes Halter, 17 anos, presidente do Grêmio estudantil do colégio Presidente Médici, ao iniciar a paralisação de sua escola. Suas palavras expressam o que pretende o grêmio estudantil, no qual participa.

Como verdadeiros sindicalistas, fazem piquete na porta da escola, organizam formação com os estudantes e tem como objetivo principal desenvolver a “consciência de classe” dos estudantes. Como diz Iago Paqui, vice-presidente do grêmio estudantil: “precisamos mostrar para cada estudante, que a maioria que estuda em escola pública é filho de trabalhador. Operários. Que o capitalismo lhe tira o direito a uma vida digna e a um futuro. Não lhe concedendo o direito a educação e ao lazer.”

Para eles esse é o papel do grêmio estudantil. Organizar a luta dos estudantes por suas reivindicações seja pela: escola pública, pelo passe-livre e pelo socialismo. O capitalismo esgotou todas as possibilidades de um futuro para a juventude. E o socialismo é: a sociedade, em que os meios de produção- fábricas e terras- estarão a serviço de todos, não de uma minoria que suga o sangue dos trabalhadores para sustentar seus privilégios – explica Halter.

 No dia 15, 18 e 19 o grêmio estudantil do Médici esteve sempre presente nas manifestações.

 Um Pouco do Histórico

Em 1948, foi fundada UBES (União Brasileira dos Estudantes Secundaristas), fruto da luta do movimento secundarista que já vinha organizando-se desde década de 30. No estado de São Paulo e do Rio de Janeiro os estudantes organizavam a luta pela meia-passagem e pela meia-entrada. Nesses estados formaram-se entidades municipais e estaduais dos secundaristas, a partir dos grêmios estudantis. Desde então, o movimento secundarista tem mostrado uma grande disposição para a luta. Na década de 50, o movimento secundarista fez manifestações contra o envio de tropas à Coréia. Também participou do combate a ditadura militar e do fora Collor. Nos últimos tempos, seu papel tem sido muito importante nas lutas associadas ao transporte. Por todo o país, os secundaristas são os que mais têm participação nas mobilizações.

Nossa Época

 Hoje, as ONGs, Diretoras de escola orientadas pelos governos e a Mídia tem uma concepção diferentes dos estudantes do Médici que seguem a tradição revolucionária dos secundaristas. Eles ajudam os estudantes a formarem grêmios para organizarem Rifas, pintarem a escola, dar aulas de reforço – ou até aulas no lugar de professores! Os grêmios organizados dessa forma pelas ONGs e pelas diretoras não organizam os estudantes para combater a raiz dos problemas, que é a falta de verbas.

Em nenhuma escola com esse perfil de grêmio estudantil é feito o debate, que no tempo atual, por exemplo, o governo está retirando milhões dos cofres públicos para dar aos bancos, enquanto a educação pública cai aos pedaços. Isso seria um importante debate. Afinal, precisamos discutir com os estudantes. Por que pagar a rifa e fazer todas aquelas campanhas de arrecadação de fundos para a escola, se nós pagamos impostos? Poderíamos fazer um ato na frente da Secretária da Educação, exigindo verbas, por que não?

Aí temos um problema, um grande! Que é o fato de a diretora estar na escola a mando do governo e as ONGs receberem dinheiro dos governos. Eles não podem entrar em choque com seus patrões. Logo não podem organizar Grêmios de luta. Um Sindicato ou uma ONG? O grêmio estudantil do Presidente Médici tem demonstrado qual é o verdadeiro papel de um grêmio estudantil. Conscientizar os estudantes para a luta pelos seus direitos e por uma sociedade socialista. Devemos desenvolver esse debate em todas as escolas que participaram dos atos contra o aumento da passagem. A luta ganhará cada vez mais força quando todos os estudantes secundaristas de Joinville estiverem com seus grêmios organizados, como os seus instrumentos de organização da luta pelo passe-livre e pelo socialismo!

VIVA OS ESTUDANTES DO MÉDICI E SEU GRÊMIO: O SINDICATO DOS ESTUDANTES!

terça-feira, 19 de maio de 2009

Gazeta de Joinville

Gazeta de Joinville

A Notíca

A Notícia

Notícias do Dia

Notícias do Dia

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Foto dos Estudantes do Médice e Tufi Dippe

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/anoticia/jsp/default.jsp?uf=2&local=18&section=Geral&newsID=a2514100.htm

Alunos fazem protesto contra o aumento da passagem de ônibus em Joinville

A tarifa subiu para R$ 2,30 (antecipada) e R$ 2,70 (compra dentro do ônibus) Estudantes das escolas Celso Ramos, Tufi Dippe e Presidente Médici se concentraram na manhã desta segunda-feira para realizar uma manifestação contra o aumento da passagem de ônibus em Joinville. Os alunos da Tufi Dippe saíram em direção ao colégio Presidente Médici com faixas e carro de som. De lá, eles seguem em marcha até a Prefeitura da cidade. A passagem de ônibus subiu para R$ 2,30 (antecipada) e R$ 2,70 (compra dentro do ônibus) a zero hora desta segunda-feira. O aumento de 12,2% concedido pelo prefeito Carlito Merss (PT) provoca reações desde que foi anunciado na quarta-feira. Na sexta, estudantes da Presidente Médici já tinham feito um protesto. Para esta segunda, 16 entidades estudantis, sindicais, políticas e de moradores da Frente de Luta pelo Transporte Coletivo programaram duas manifestações. Fonte: http://www.clicrbs.com.br/anoticia/jsp/default.jsp?uf=2&local=18§ion=Geral&newsID=a2514100.htm

Foto do AN do ato do dia 18/05/09

Vereador do PT lidera protesto contra aumento da passagem de ônibus em Joinville

Adilson Mariano juntou-se a 300 estudantes na frente da Prefeitura e espera que prefeito volte atrás na decisão de aumentar a tarifa Atualizada às 12h52min Cerca de 300 estudantes se reuniram na frente da Prefeitura de Joinville na manhã desta segunda-feira para protestar contra o aumento da passagem de ônibus. Alunos das escolas Celso Ramos, Tufi Dippe, Jorge Lacerda, João Rocha, Paulo Medeiros e Presidente Médici foram, em marcha, até o local com faixas e carro de som. O vereador Adilson Mariano (PT) também participou da mobilização ao lado dos líderes estudantis. O vereador pegou o microfone e fez coro com os alunos em protesto. — Nossa intenção é fazer uma pressão popular para que o prefeito tenha coragem de revogar esta decisão. No meu papel como político, vou tentar sustar este ato via Câmara de Vereadores. Um pequeno grupo de estudantes foi liberado para entrar no gabinete do prefeito e conversar sobre o assunto. Eles foram recebidos pelo secretário de Planejamento, Eduardo Dalbosco, e conversaram por mais de uma hora, mas não se contentaram com o desfecho da reunião. — Nós queríamos falar diretamente com o prefeito, mas ele não apareceu. Esta reunião não adiantou de nada, porque as reivindicações dos estudantes não foram ouvidas e também não tivemos garantias de um novo encontro com o Carlito — reclamou o coordenador do movimento Juventude Revolucionária, João Diego Leite, 21 anos. O vereador Adilson Mariano também deixou o gabinete insatisfeito pelos mesmos motivos. Já o secretário Eduardo Dalbosco explicou que o prefeito não compareceu à Prefeitura porque tinha uma reunião na Secretaria de Infraestrutura. Conforme Dalbosco, o encontro serviu para justificar mais uma vez a razão do aumento. — O Carlito já havia se reunido com os estudantes em outras oportunidades. Ele teve coragem para tomar uma atitude impopular como essa. A única garantia da Prefeitura é que iremos fiscalizar o sistema para que os preços sejam justos, mas sabemos que ninguém gosta de pagar mais — disse o secretário. A passagem de ônibus subiu para R$ 2,30 (antecipada) e R$ 2,70 (compra dentro do ônibus) a zero hora desta segunda-feira. O aumento de 12,2% concedido pelo prefeito Carlito Merss (PT) provoca reações desde que foi anunciado na quarta-feira. Na sexta, estudantes da Presidente Médici já tinham feito um protesto. Para esta segunda, 16 entidades estudantis, sindicais, políticas e de moradores da Frente de Luta pelo Transporte Coletivo programaram duas manifestações. A próxima iniciará às 18 horas. Fonte: http://www.clicrbs.com.br/anoticia/jsp/default.jsp?uf=2&local=18§ion=Geral&newsID=a2514123.xml

domingo, 17 de maio de 2009

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Os que lutam

"Há aqueles que lutam um dia; e por isso são muito bons; Há aqueles que lutam muitos dias; e por isso são muito bons; Há aqueles que lutam anos; e são melhores ainda; Porém há aqueles que lutam toda a vida; esses são os imprescindíveis." Bertolt Brecht

Estudantes protestam contra o aumento das passagens de ônibus em Joinville

A partir de segunda, o bilhete comprado antecipadamente sobe de R$ 2,05 para R$ 2,30 A manhã desta sexta-feira foi de protesto para os alunos do Colégio Estadual Presidente Médici no bairro Boa Vista, em Joinville. Os estudantes fizeram uma caminhada pela rua Prefeito Helmuth Fallgatter em direção ao terminal de ônibus da Tupy contra o aumento das passagens do transporte coletivo. O aumento de 12,2% foi autorizado na última terça-feira pelo prefeito Carlito Merss (PT). A partir da próxima segunda-feira, o bilhete comprado antecipadamente sobe de R$ 2,05 para R$ 2,30 e a passagem vendida no ônibus passa de R$ 2,50 para R$ 2,70. A manifestação foi liderada por membros do Grêmio Estudantil e contou com cerca de 500 estudantes. Eles carregaram faixas e cartazes com mensagens de protesto contra o aumento. Os alunos também pediram passe livre para os estudantes. Na próxima segunda-feira, alunos do Colégio Estadual Presidente Médici e estudantes de outras escolas joinvilenses devem se reunir no Centro da cidade para uma manifestação conjunta contra o aumento das passagens. Mais manifestações pipocam pela cidade Ainda na manhã desta sexta-feira, outra manifestação aconteceu em frente ao Colégio Estadual Paulo de Medeiros, no Adhemar Garcia. Ali, um grupo de pouco mais de 20 estudantes, com gritos de ordem convocaram os alunos que estavam nas salas para comparecerem ao ato programado para a próxima segunda feira em frente à prefeitura. A estudante Mayara Inês Colzani, de 16 anos, apesar da aparência franzina era quem comandava o grupo. Ela conta que faz parte do movimento estudantil desde os 13 anos e agora é a presidente do Grêmio Estudantil do colégio. Mayara argumenta que “os pais pagam bancam os custos dos filhos e isso não é justo com eles. Com isso, outros estudantes trabalham para pagar seu transporte”. Apesar da movimentação, a diretora do colégio não liberou a saída dos alunos e criticou o movimento. “Não é um grêmio atuante. E agora querem se manifestar.” Ela não descartou a possibilidade de chamar a polícia, caso estudantes menores de idade pulem o portão para se juntar aos manifestantes. A estudante Mayara rebateu as críticas: “Esta é uma demonstração de atuação do nosso grêmio. Os alunos precisam de nós!” finaliza. Moradora das imediações da escola, dona Maria Conceição de Oliveira acompanhava a movimentação dos estudantes e opinou que eles estão certos. “Têm que se manifestar. Meus filhos também pagam ônibus e se não fizerem nada o que vai ser de nós?”. Postado por Redação Gazeta de Joinville Fonte: http://www.clicrbs.com.br/anoticia/jsp/default.jsp?uf=2&local=18§ion=Geral&newsID=a2511289.xml

Estudantes protestam contra aumento do ônibus em Joinville

Cerca de 300 estudantes da Escola de Educação Básica Presidente Médici, no bairro Boa Vista, protestaram na manhã desta sexta-feira contra o aumento de 12,2% nas tarifas do transporte coletivo. Estudantes do ensino médio paralisaram os estudos e se aglomeraram no pátio do colégio, onde representantes do Grêmio Estudantil e da Frente de Luta pelo Transporte Público coordenaram a ação. Johannes Halter, estudante de 17 anos, é presidente do Grêmio Estudantil do colégio há cerca de 6 meses. Para ele, somente com manifestações organizadas e a convocação dos estudantes, é possível conscientizar a população sobre os aumentos injustos. “Os políticos não vêem pessoas. Eles vêem votos. Então que sintam a pressão dos estudantes eleitores”, desafia. João Diego Leite, 21 anos é acadêmico de jornalismo, estava representando a Frente pela Luta pelo Transporte Público. Ele conta que o movimento existe há vários anos, mas que em 2003 tomou força com os constantes aumentos na passagem. “Esperamos chamar a atenção das pessoas para que elas se integrem ao movimento, que é legítimo e tem autonomia própria para parar as escolas”. Estudantes protestam contra aumento do ônibus em Joinville Cerca de 300 estudantes da Escola de Educação Básica Presidente Médici, no bairro Boa Vista, protestaram na manhã desta sexta-feira contra o aumento de 12,2% nas tarifas do transporte coletivo. Estudantes do ensino médio paralisaram os estudos e se aglomeraram no pátio do colégio, onde representantes do Grêmio Estudantil e da Frente de Luta pelo Transporte Público coordenaram a ação. Johannes Halter, estudante de 17 anos, é presidente do Grêmio Estudantil do colégio há cerca de 6 meses. Para ele, somente com manifestações organizadas e a convocação dos estudantes, é possível conscientizar a população sobre os aumentos injustos. “Os políticos não vêem pessoas. Eles vêem votos. Então que sintam a pressão dos estudantes eleitores”, desafia. João Diego Leite, 21 anos é acadêmico de jornalismo, estava representando a Frente pela Luta pelo Transporte Público. Ele conta que o movimento existe há vários anos, mas que em 2003 tomou força com os constantes aumentos na passagem. “Esperamos chamar a atenção das pessoas para que elas se integrem ao movimento, que é legítimo e tem autonomia própria para parar as escolas”. Fonte: http://gazetadejoinville.blogspot.com/2009/05/estudantes-protestam-contra-aumento-do.html

quinta-feira, 14 de maio de 2009

domingo, 3 de maio de 2009

Elogio do Revolucionário

Quando aumenta a repressão, muitos desanimam. Mas a coragem dele aumenta. Organiza sua luta pelo salário, pelo pão e pela conquista do poder. Interroga a propriedade: De onde vens? Pergunta a cada idéia: Serves a quem? Ali onde todos calam, ele fala E onde reina a opressão e se acusa o destino, ele cita os nomes. À mesa onde ele se senta se senta a insatisfação. À comida sabe mal e a sala se torna estreita. Aonde o vai a revolta e de onde o expulsam persiste a agitação.

Bertolt Brecht