Follow by Email

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Como Vivem os Moradores de Rua?

Moradores de rua contam como fazem para sobreviver nas ruas de Joinville, com o inverno, preconceito e a repressão do poder público. Freqüentemente observamos pessoas aos “farrapos” circulando pelas ruas de nossa cidade. Uns pedindo esmola; outros dormindo pelos cantos, ao lado do banco, nas praças; alguns mendigos até conhecemos por estarem sempre no mesmo lugar. O que nunca fazemos é entender quem eles são e porque estão nessa situação. Adriano Souza, 32 anos é um dos moradores da rua em Joinville. Não tendo trabalho, não pude pagar um lugar para ficar e acabei tendo que morar na rua mesmo – afirma Souza. Que Trabalhava como servente de pedreiro e foi despedido há alguns meses. Uns de seus problemas é a aversão que as pessoas têm de moradores da rua. “As pessoas parecem ter uma visão agressiva de nós, não queremos nada, só ajuda”. Para Souza, o problema das pessoas que vivem na rua é a falta de oportunidade, muitas têm que trabalhar logo quando crianças e não tem como estudar. “As pessoas precisam de um lugar para ficar, uma casa e emprego. É o que o governo precisa fazer para nos ajudar”. Outra situação semelhante é a de Moacir de Souza e Jair de Souza. Os dois irmãos vivem de catar papelão e apesar de residência fixa, são obrigados a viver na rua, devido ao trabalho exaustivo. Os dois acordam todos os dias às 6h da manhã e voltam para casa às 03h da madrugada. “Dormimos na rua, às vezes, cansa muito sair às 6h, puxando o carrinho”. - conta Jair de Souza. Um dos problemas enfrentados pelos dois irmãos é os catadores estarem proibidos de fazer seu trabalho durante o dia, no centro. “Tem uns fiscais da prefeitura que nos proíbem de catar papelão, eles chegam batendo e dizem para irmos embora”. Os dois dizem que isso é um problema com os lojistas que não querem eles enfeando a fachada de suas lojas com seus carinhos. Os dois contam que agora no inverno se não tiverem lugar para dormir será muito difícil de catar papelão, “a madrugada é fria demais, nos cobrimos com papelão para espantar o frio, o cansaço dobra, ainda mais com a chuva.” Conta Jair. A partir do relato deles podemos entender como é a vida de alguns moradores da rua de nossa cidade. Uma parte da cidade que não vemos ou fingimos não ver, que precisamos mudar.

6 comentários:

  1. Oi, você mesmo que falou com esses moradores? Estudo Arquitetura e Urbanismo na UFSC e quero fazer um trabalho relativo ao tema dos moradores de rua de Joinville.
    Obrigada, Juliana.

    ResponderExcluir
  2. Sim eu mesmo falei com eles, vc tem e-mail?

    ResponderExcluir
  3. Respostas
    1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk............................................................................................................................................................................................................................................................

      Excluir
    2. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Você é retardado...

      Excluir
  4. jucelio Manoel Narciza14 de maio de 2012 06:19

    Dia 27 de Abril de 2012 houve em Joinville o primeiro forum de População em Situação de Rua Cerca de 50 pessoas discutiram sobre a politica Nacional para a população em situação de rua onde estiveram presentes o presidente nacional do Movimento, representates de Curitiba, de Florianópolis e São José com este encontro se mobilizou um grupo de moradores de rua e representantes intersotorias para discutir segurança alimentar,moradia e geração e rendas esta grupo se reuni as quartas feiras no Centro POP rua Urussanga n°1180 das 16h as 18h com grupo articulador do movimento municipal de pessoas em situação de rua esse grupo é aberto para todos que queira desenvolver a intersetoriedade desta temática que procurara melhorias para essa população

    ResponderExcluir