Follow by Email

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Não ter opção

Esses dias ouvi a frase acima enquanto estudava. Foi como se algo tivesse me acordado de um transe. Comecei a pensar sobre frase.

Muitas pessoas são o que são por não terem escolha. É aquela velha história, “fazer o quê?”. Por não terem opção deixam a vida lhes arrastar, vão se acostumando com as rotinas, sem oferecer resistência. Deixam a vida lhes modar, lhes imprimir uma forma que não é a que desejavam.

Se pormos toda a culpa no indivíduo, estaremos vendo o problema de maneira errada. É clássico na filosofia pequeno-burguesa achar que tudo se resolve com a força de vontade! O sistema é o primeiro obstáculo ao indivíduo, por mais que afirmemos que as pessoas podem, que as possibilidades existem, nosso sistema de classes não permitem que todos fiquemos no topo. 

O espaço no topo é pequeno. Para alguém subir é preciso alguém cair. Uma selva. É nisso que vivemos. E como na selva, não bastava vontade para enfrentar os predadores. Somente nossa vontade individual não mudará as coisas.

Nossa conciência de que existe outra opção é primeiro passo, mas somente uma pequena parte, que só terá sentido indo ao encontro do coletivo e contra o sistema.

Nenhum comentário:

Postar um comentário