Follow by Email

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Essa merda tem que acabar

Ninguém precisa ser comunista para entender que o capitalismo é uma merda. O vídeo abaixo, que conta a vida de Jacques Fresco, mostra isso. Durante os seus 75 anos ele observou a sociedade. Assim compreendeu que nossa democracia em épocas de crise é a democracia dos bancos e dos empresários e que o único objetivo desse sistema é produzir para lucrar, não importando o bem estar das pessoas. 



Fresco é membro e fundador de um movimento chamado Zeitgeist. Os membros desse grupo acreditam que precisamos construir uma sociedade boa para todos os seres humanos, independente das classes sociais. Para eles, o primeiro passo é entender que os recursos da terra são finitos. É que eles demoraram milhões de anos para ser constituídos e nós, ao ritmo que vamos, iremos acabar com tudo e levaremos os humanos à extinção. 



Entendo isso, precisamos mapear e contabilizar todos os recursos para saber como melhor podemos utilizá-los. Ao fazer isso, eliminamos todas as fronteiras e trabalhamos unidos para constituir uma economia que produza o necessário para o bem estar de todos. 

As idéias de fresco e seus amigos são interessantes. E podemos ter acordo em muitos pontos. Como afirmei antes, não precisa ser comunista para entender a sociedade, mas para mudá-la acreditamos que sim. 

Para fresco, não há partido ou organização política que lute para tomar o poder e socializar os recursos. Afinal, eles defendem uma economia em que os recursos estejam disponíveis para todos, mas como fazer isso se esses recursos são propriedades da classe dominante? 

Para os membros do Zeitgeist é a propaganda, Ou seja, conscientizaremos todos os seres humanos, entre eles os burgueses que acho que também são humanos, para que entreguem seus recursos para a humanidade. Assim poderemos realizar o plano da Economia Baseada em Recursos. 

Essas idéias são semelhantes ao que pensavam Saint Simon, Robert Owen e Charles Fourier. Socialistas utópicos, que acreditavam em uma transformação social pela propaganda. Eles também constituíam um plano. Simon tinha uma idéia de contabilidade semelhante ao do Zeitgeist. 

O grande problema dessas teorias é pensar a sociedade a partir do consumo, não a partir da propriedade. As idéias são honestas, mas para realizar todo esse plano precisamos do controle da economia e da política, que não é citada em nenhum momento por eles. 

Eu me pergunto, acho justo organizar uma economia baseada nos recursos, mas como convencer os donos das indústrias a nos entregar o que dá um lucro de milhões a ele? 

Acho que se apresentássemos o plano à burguesia, não haveria divergência sobre sua necessidade, mas a hora que falarmos: 

- Bem, mas para que isso dê certo precisa entregar seus recursos. 

A resposta seria assim: 

-KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Penso que o caminho que tomou a primavera árabe nos mostra como poderíamos salvar a humanidade, que é a grande preocupação do Zeitgeist. Só acrescentaria que além de derrubar os ditadores derrubássemos também os burgueses, socializássemos a produção e colocássemos o poder nas mãos dos explorados. É a única maneira de tomarmos os recursos.

João Diego
Estudante de Jornalismo 
Coordenador Nacional da Juventude Marxista


Nenhum comentário:

Postar um comentário